Usar ou não cache do PHP no GLPi

Compartilhe esse post

Os reais benefícios de ativar ou não o cache do PHP fica sempre aos olhos da imaginação. Lançamos o desafio para nossa equipe de teste do GLPi e aqui apresentamos parte do resultado.

Este post apresenta de forma básica e objetiva uma pequena amostra retirada dos ensaios da equipe de Teste da Verdanatech quanto ao fato de usar ou não cache do PHP no GLPi.

Os ensaios foram realizados executando carga de estresse na aplicação para validar a eficiência do uso do sistema de cache e seus efeitos sobre o hardware hospedeiro da aplicação.

O GLPi, em suas versões mais recentes, vem com um mecanismo de cache baseado no Zend OPCache.

Este mecanismo visa melhorar a performance e evitar excesso de leitura e gravação em disco guardando um cache compartilhado em memória.

A questão é:

Quanto realmente o uso do Zend OPCache melhora a performance do sistema?

Essa pergunta foi passada para a equipe de teste da Verdanatech e uma pequena amostra dos resultados pode ser facilmente interpretada com análise no gráfico abaixo:

O ambiente foi submetido a uma carga de estresse contínua e, durante essa mesma carga, foi habilitado o sistema de cache para avaliar seu efeito sobre o sistema.

Repare que o consumo de CPU da aplicação HTTPD (Apache) baixou drasticamente, apenas por ter habilitado o sistema de cache do PHP.

A maioria dos usuários não percebem essa diferença, pois usam seus sistemas com uma carga bem pequena e, geralmente em um servidor dedicado, mas para aqueles que necessitam de um ambiente mais complexo, estável e robusto, acreditamos que essa singela amostra de nossos resultados pode contribuir um pouco.

Grande abraço a todos, paz e sucesso!

Deixe o seu comentário

Quer receber nossas atualizações com conteúdos exclusivos?

Deixe seu contato

Mais artigos para você explorar